Conheça Torn, o game de mistério e ficção científica em VR que não existiria sem o NVIDIA FleX

Por Dave Prout ligado 28 de Agosto de 2018 | Featured Stories NVIDIA GameWorks Virtual Reality

E se você pudesse entrar em um episódio de Black Mirror? Em Torn, nosso título de VR inspirado no Black Mirror, você pode!

Desenvolvido para VR, Torn começa como um game narrativo de enigmas que evolui para uma história sombria e dirigida pelos personagens conforme você descobre a verdade sobre uma misteriosa mansão e seu dono.

No início do game, Katherine Patterson se depara por acaso com uma mansão abandonada e rapidamente encontra um caminho para outra dimensão. Quando ela chega, encontra um fluido cintilante que fala e tem emoções, gestos, movimentos e é até mesmo condescendente. Este fluido é a essência, sem corpo físico, do Dr. Lawrence Talbot. Talbot, assim como o mundo fotorrealista de Torn, não existiria sem o NVIDIA FleX.

Queríamos combinar esse realismo e autenticidade com uma história original que fosse atraente. Assim como muitos grandes games, a história original de Torn começou com uma fase de exploração. Durante a pré-produção, nós nos deparamos com o FleX, que estava bem estabelecido, mas que, até onde sabemos, não havia sido usado para um game de VR – pelo menos até agora. Começamos a experimentar os ajustes do fluido e notamos que o líquido estava começando a ganhar vida. Percebemos que os pulsos do líquido pareciam lábios em movimento, então, mapeamos uma faixa de áudio para o líquido. E aí nos perguntamos: conseguiríamos transformar isso em um personagem?

Para responder a essa pergunta com mais perguntas, pensamos: que tal um cientista (Talbot) que perde seu corpo em um experimento que deu errado? E se você tivesse que ajudá-lo a recuperar o corpo dele? E se você visitasse os domínios dele, repletos de máquinas estranhas e experiências perturbadoras? Talbot fala dinamicamente, envolve-se em objetos, viaja pelo mundo e reage ao toque do jogador. Nós não estávamos necessariamente procurando algo diferente, mas Talbot é perfeito para mostrar o potencial da tecnologia. Logo depois de encontrar o FleX, o mundo de Torn começou a tomar forma.

Após um ano, o FleX se tornou uma ferramenta essencial para aprimorar e dar vida ao mundo do game. Apesar de ser um processo delicado, o FleX introduziu um nível de realismo incomparável em Torn. O jogador pode interagir com o mundo de maneiras incrivelmente realistas, como espirrar fluidos em gravidade zero, afastar teias de aranha, abrir cortinas, lançar sacos de farinha na cozinha, jogar travesseiros no quarto e fazer levitar troncos de 100 metros de comprimento.

Como desenvolvedores, aprender uma nova ferramenta tão poderosa e útil quanto o FleX é realmente uma alegria, e acreditamos que isso ficou claro no produto final. Para outros desenvolvedores que desejam usar o FleX, não deixem de experimentar vários objetos e explorar os detalhes para que tudo se encaixe bem. Isso significa uma quantidade imensa de iterações e feedbacks. Adicione muitos átomos, e os fluidos se tornam muito explosivos. Adicione muito pouco atrito, e um cobertor escorregará da cama. Muito vento, e as cortinas se soltarão de seus trilhos. Quando um jogador entra em uma sala, o que atrai a atenção dele e como você pode fazê-lo se comportar como se estivesse no mundo real?

Esperamos que você experimente o misterioso mundo de Torn e #EnterTheMansion hoje! Obtenha o game no SteamVRPS VROculus.

 

Comentários